Preloader

Inovação

Bluetooth faz 20 anos: como um rei viking entrou nessa história

terça-feira, 8 de outubro de 2019
Bluetooth faz 20 anos: como um rei viking entrou nessa história

Faz exatos 20 anos que o mundo conheceu a primeira aplicação comercial do Bluetooth, a tecnologia que permite conectar dispositivos fixos e móveis a curta distância por meio de uma frequência de rádio de ondas curtas. No dia 15 de novembro de 1999, a sueca Ericsson utilizou o Bluetooth para interconectar um fone de ouvido a um celular da companhia. A novidade foi premiada na edição daquele ano da Comdex, exposição realizada em Las vegas, nos Estados Unidos, e que era na época uma das mais importantes mostras de novas tecnologias do mundo.

A Ericsson tem íntima relação com o surgimento do Bluetooth, tecnologia que permitiu o surgimento de fones de ouvido sem fio, alto-falantes e controladores de jogos utilizados atualmente. E essa história não começou na Comdex. Dez anos antes da apresentação em Las Vegas, Nils Rydbeck, executivo da companhia, participou, ao lado do médico e inventor sueco Johan Ullman, do desenvolvimento dos inventos que dariam origem ao Bluetooth propriamente dito. A criação da tecnologia foi revelada em 1994 por Jaap Haartsen, também engenheiro da companhia sueca.

LEIA TAMBÉM:
Conheça Pär Hedberg, o patrono da inovação tecnológica sueca
Islândia tenta repovoar suas florestas, dizimadas pelos vikings
Dinamarca quer fortes da Era Viking na lista de patrimônios da humanidade da Unesco
Noruegueses anunciam rara descoberta de barco da Era Viking

As raízes escandinavas dessa inovação não se limitam ao pioneirismo da Ericsson. Na verdade, o nome ("Dente Azul") é uma referência a Harald Gormsson, ou Haroldo I, rei da Dinamarca entre 958 e 986 - e, a partir de 970, também da Noruega, quando a conquistou. O monarca viking era conhecido como Blåtand (ou "Dente Azul", em dinamarquês).

O paralelo entre Haroldo I e o nome dado à nova tecnologia é creditado a Jim Kardash, da Intel. Kardash foi um dos participantes da reunião entre expoentes da indústria de computadores realizada em 1996 para padronizar a tecnologia de conectividade por ondas curtas. Encarregado de desenvolver essa inovação para laptops, ele estava lendo o livro The Long Ships, romance que conta as aventuras dos vikings e como Harald "Dente Azul" Gormsson conseguiu unificar as diferentes tribos dinamarquesas sob sua coroa.

Com a ideia de unificação, Kardash, que trabalhava para conseguir que dispositivos diferentes se comunicassem sem fio, encontrou um paralelo entre a trajetória do monarca e a nova tecnologia. Foi assim que o apelido do rei - que introduziu o cristianismo na Dinamarca e consolidou seu poder sobre a maior parte da Jutlândia e da Zelândia, respectivamente a maior porção continental e a maior ilha do país - acabou se transformando no nome da ferramenta.

A referência escandinava aparece também no logotipo do Bluetooth: o ícone que identifica a tecnologia usa símbolos rúnicos, característicos de línguas germânicas e escandinavas da época de Haroldo I. O Bluetooth é identificado pela fusão das runas H e B, as iniciais do monarca. Esse é o símbolo que aparece na barra de menu, na parte superior da tela dos dispositivos toda vez que você liga as configurações da conexão sem fio.