Preloader

Meio Ambiente e Sustentabilidade

Em nome da sustentabilidade, Suécia cancela a Estocolmo Fashion Week

sexta-feira, 5 de julho de 2019
Em nome da sustentabilidade, Suécia cancela a Estocolmo Fashion Week

A Suécia tem uma forte reputação no mundo da moda, sendo conhecida pelo seu design e estilo minimalistas. Mas, nesta semana, a conversa no setor foi menos sobre estilo e mais sobre sustentabilidade devido à decisão do Conselho de Moda Sueco de cancelar a próxima edição da Estocolmo Fashion Week.

A organizadora do evento disse que a medida tem relação com suas preocupações ambientais, que têm ganhado corpo com a crescente constatação sobre a natureza pouco sustentável dessa indústria. Em estudos recentes, pesquisadores constataram, por exemplo, que o segmento da moda, que responde por algo entre 8% e 10% das emissões dos gases causadores do efeito-estufa, polui mais que navios e aviões.

LEIA TAMBÉM:
Como a Finlândia fabrica roupa com madeira usada
Na Suécia, a "vergonha de voar" já afeta a indústria da aviação
Suécia apresenta o McHive, o "McDonald´s das abelhas"

Os suecos são conhecidos por sua consciência ambiental bastante acima da média, mas ninguém no segmento esperava que o Conselho de Moda Sueco tomasse uma medida tão drástica. O cancelamento afeta centenas de estilistas suecos e também de outros países, que exibiriam suas criações nas passarelas de Estocolmo entre 27 e 29 de agosto.

No entanto, segundo a Euronews, ao que tudo indica, o cancelamento deverá ser temporário, até que seja criado um formato alternativo. A Copenhague Fashion Week, agendada para o período de 4 a 7 de agosto, é um dos eventos que rivalizam com o sueco. Mas, depois da recente decisão, é possível que também os dinamarqueses repensem o seu formato.

“Deixar para trás o modelo convencional da semana de moda foi uma decisão difícil, mas sobre a qual refletimos muito”, disse Jennie Rosén, presidente do Conselho de Moda Sueco. “É crucial apoiar as marcas no desenvolvimento de experiências de moda para a próxima geração."

Rosén defende que o cancelamento servirá para o setor se adaptar a novas necessidades de consumo, atingir metas de sustentabilidade e estabelecer novos padrões para moda. Para criar um formato para substituir a semana de moda convencional, o Conselho pretende trabalhar de maneira muito próxima com todos os integrantes da indústria. A nova estratégia deve ser anunciada até o fim do ano.